sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

SÓCRATES ESTÁ 100% INOCENTE

Povo eleitor isto não se faz. Difamar um 1º ministro que se vai candidatar novamente e que quer maioria absoluta É PECADO MORTAL. Vá lá votem todos novamente.


Afinal Sócrates (ou Pinócrates ?) está completamente inocente da roubalheira do FREEPORT, conforme se encontra plenamente provado na carta rogatória da Polícia inglesa, de que se anexa um resumo já que o original é bastante extenso. Leiam o anexo e vejam como a Polícia Inglesa montou esta campanha negra duma cabala miserável só para denegrir um pobre e desgraçadinho inocente.

Afinal ainda acontecem milagres em Portugal.

Segundo o Correio da Manhã de sábado 31 de Janeiro, - e passo a transcrever -, "a senhora dona Maria Adelaide de Carvalho Monteiro, mãe de José Sócrates, comprou um apartamento na Rua Braamcamp, em Lisboa, a uma sociedade off-shore com sede nas Ilhas Virgens Britânicas, apurou o Correio da Manhã. Em Novembro de 1998, nove meses depois de José Sócrates se ter mudado para o terceiro andar do prédio Heron Castilho, a mãe do primeiro-ministro adquiria o quarto piso, letra E, com um valor tributável de 44 923 000 escudos – cerca de 224 mil euros –, sem recurso a qualquer empréstimo bancário e auferindo um rendimento anual declarado nas Finanças que foi inferior a 250 euros (50 contos).


Ora vejam lá como a senhora deve ter sido poupadinha durante toda a vida.

Com um rendimento anual de 50 contos, que nem dá para comprar um mínimo de alimentação mensal, ainda conseguiu juntar 224.000 euros para comprar um apartamento de luxo, não em Oeiras ou Almada, na Picheleira ou no Bairro Santos, mas no fabuloso edifício Heron, no nº 40, da rua Braamcamp, a escassos metros do Marquês de Pombal e numa das mais nobres e caras zonas de Lisboa.

Notável exemplo de vida espartana que permitiu juntar uns dinheiritos largos para comprar casa no inverno da velhice.

Vocês lembram-se daquela ideia genial do Teixeira dos Santos, que queria que pagássemos imposto se dessemos 500 euros aos filhos ?

Quem terá ajudado, com algum cacau, para que uma cidadã, que declarou às Finanças um RENDIMENTO ANUAL de 50 contos, pudesse pagar A PRONTO, a uma sociedade OFFSHORE, os tais 224.000 euros ?


E depois venham-nos pedir sacrifícios . . . cambada

Divulguem, divulguem, divulguem