domingo, 17 de outubro de 2010

QUANDO OS FILHOS CRESCEM



















Há um momento, na vida dos pais, em que eles se sentem órfãos. Os filhos, dizem eles, crescem de um momento para outro.
É paradoxal. Quando nascem, pequenos e frágeis, os primeiros meses parecem intermináveis. Pai e mãe se revezam à cata de respostas aos seus estímulos nos rostinhos miúdos.
Desejam que eles sorriam, que agitem os bracinhos, que sentem, fiquem em pé, andem, tudo é uma ansiosa expectativa.
Então, um dia, de repente, ei-los adolescentes. Não mais os passeios com os pais, nos finais de semana, nem férias compartilhadas em família.
Agora tudo é feito com os amigos.
Olham para o rosto do menino e surpreendem os primeiros fios de barba, como a mãe passarinho descobre a penugem nas asas dos filhotes. A menina se transforma em mulher. É o momento dos voos para além do ninho doméstico.
É o momento em que os pais se perguntam: Onde estão aqueles bebês com cheirinho de leite e fralda molhada? Onde estão os brinquedos do faz-de-conta, os chás de nada, os herois invencíveis que tudo conseguiam, em suas batalhas imaginárias contra o mal?
As viagens para a praia e o campo já não são tão sonoras. A cantoria infantil e os eternos pedidos de sorvetes, doces, pipoca foram substituídos pelo mutismo ou a conversa animada com os amigos com que compartilham sua alegria.
Os pais se sentem órfãos de filhos. Seus pequenos cresceram sem que eles possam precisar quando. Ontem, eram crianças trazendo a bola para ser consertada. Hoje, são os que lhes ensinam como operar o computador e melhor explorar os programas que se encontram à disposição.
A impressão é que dormiram crianças e despertaram adolescentes, como num passe de mágica.
Ontem, estavam no banco de trás do automóvel; hoje, estão ao volante, dando aulas de correta condução no trânsito.
É o momento da saudade dos dias que se foram, tão rápidos. É o momento em que sentimos que poderíamos ter deixado de lado afazeres sempre contínuos e brincado mais com eles, rolando na grama, jogando futebol.
Deveríamos tê-los ouvido mais, deliciando-nos com o relato de suas conquistas e aventuras, suas primeiras decepções, seus medos. Tê-los levado mais ao cinema, desfrutando das suas vibrações ante o heroísmo dos galãs da tela.

Tempos que não retornam, a não ser na figura dos netos, que nos compete esperar.
Pais, estejamos mais com nossos filhos. A existência é breve e as oportunidades preciosas.
Tudo o mais que tenhamos e que nos preencha o tempo não compensará as horas dedicadas aos Espíritos que se amoldaram nos corpos dos nossos pequenos, para estar conosco.
Não economizemos abraços, carícias, atenções, porque nosso procedimento para com eles lhes determinará a felicidade do crescimento proveitoso ou a tristeza dos dias inúteis do futuro
A criança criada com carinho aprende a ser afetuosa.
A mensagem da atenção ao próximo é passada pelos pais aos filhos.
No dia a dia com os pais, os filhos aprendem que o ser humano, seus sentimentos são mais importantes do que o simples sucesso profissional e todos os seus acessórios.
Em essência, as crianças aprendem o que vivem.

22 comentários:

Nilce disse...

Texto perfeito.
O tempo passa e notamos que as nossas expectativas quanto aos filhos caem por terra.
Criamos-os para o mundo.

Obrigada pela visita e carinho. Voltem sempre.

Bjs no coração!

Nilce

IMaria disse...

um texto magnífico.

GUIDA ROSA disse...

suas palavras tem a divina luz da experiência.....
Sem conseguir-se explicar o motivo,
Vai-se mudando o que nos rodeia
Se um bater de asas tem sentido,
Imaginem o que nosso interior anseia.

retribuindo carinho, uma ótima semana Guida.

Luís Coelho disse...

Bom dia
A verdade nua e crua, como se costuma dizer. Agora já não se pode fazer voltar o tempo.
Sinto-me feliz por ter tido possibilidade de brincar com os meus filhos e de em todo o tempo ter acompanhado as suas mudanças.
Aquilo que mais me custou foi saber falar com eles e juntos procurarmos um consenso para as amizades, os filmes, as roupas e até na sobriedade da comida e bebida.
Este tema é muito importante e não pode ser falado assim só nesta simplicidade.
Muitos pais dão dinheiro aos filhos esquecendo-se de coisas mais importantes = ouvi-los e saber onde e como gastaram o dinheiro.....
Um grande abraço por terem abordado este tema tão importante.

Pena disse...

Lindos Amigos:
Um texto fascinante e sublime de maravilhar e encantar.
Registei pela beleza e pureza vossa:
"...Ontem, estavam no banco de trás do automóvel; hoje, estão ao volante, dando aulas de correta condução no trânsito.
É o momento da saudade dos dias que se foram, tão rápidos. É o momento em que sentimos que poderíamos ter deixado de lado afazeres sempre contínuos e brincado mais com eles, rolando na grama, jogando futebol..."

Delicioso e enternecedor.
Adorei.
Beijos e abraço sinceros.
Com respeito e estima.
Escrevem por magia e deslumbre grandioso.
MUITO OBRIGADO, pela simpatia que é recíproca.
Um texto que dá que pensar.
Parabéns.
Fabuloso.
Com admiração.

pena

São perfeitos.
Bem-Hajam.

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

oi nati
se perdemos momentos preciosos com nossos filhos nunca mais recuperamos!
devemos aproveitar cada minuto ao lado de quem amamos!
beijo
boa semana!

Zé Carlos disse...

Naty, muito obrigado pelo seu comentário.

VC QUE TEM O SEU AMOR SEMPRE DO SEU LADO É UMA FELICIDADE.....

Tomara que seja assim a vida toda, isso é o que vale.

Bjs do teu amigo do Brasil, Zé Carlos

Isa disse...

Boa noite!
Toda a razão neste belo texto.
O apoio dos Pais,o ouvir é fundamental para o bom crescimento da criança.
Beijo.
isa.

Jose Sousa disse...

Olá querida amiga bloguista!
Mais uma vez vim ao seu espaço. Gosto do que escreve, e este é mais um dos que gostei, lindo, lindo.
Nem sempre posso comentár mas leio!

Compareça nos meus e comente:

www.queriaserselvagem.bogspot.com
www.minhalmaempoemas.blogspot.com
www.congulolundo.bogspot.cm
E-mail: kwahta@hotmail.com

Um Abração do tamanho do mundo

Eduardo Tornaghi disse...

Naty e Carlos,
Obrigado pela visita e pelas palavras gentis. Espero que tenham se divertido.
Por mim, tenho duas filhas, de 8 e 11 anos e costumo dizer, "deixa eu aproveitar enquanto sou absoluto que já, já, tô obsoleto.
Tudo de bom e voltem sempre.

Pérola disse...

Boa noite meus queridos.
Muito obrigado pelo carinho da visita.
Seu texto é lindo e tem tudo a ver comigo,meu filho casa dia 22 de janeiro,meu coração já anda apertadinho.
Prometi ñ chorar mas como eu me conheço vai ser impossível.
Parabéns pela qualidade do texto.
Beijos mil.

segredo disse...

Eu gosto de ver a minha filha crescer e sentir a minha presença mesmo k agora mais afastada pelos amigos e adolescencia!

Beijinho de lua*.*

Cigana do Oriente disse...

Texto muito verdadeiro este.
Os anos passam e quando vemos estamos com adolescentes em casa.
Enquanto estivermos perto que possamos curtir muito os momentos juntos para que depois venhamos a ter boas lembranças e um sentimento de dever cumprido.
Beijos pra vocês!

Mariazita disse...

Este texto, que eu já conhecia, é muitíssimo bom. Gostei de reler.
Merece a maior divulgação possivel, para esclarecimento de tantos pais que não querem que os filhos vivam as suas próprias vidas, o que é inevitável.

Uma boa semana, cheia de Luz e amor.
Beijinhos

M@ria disse...

Certos gestos,parecem sinais guiando-nos pelo caminho;
Certos detalhes nos dão certeza de que existem pessoas especiais,
Assim como você que deixarão belas lembranças para todo o sempre:

Vinicius de Moraes

Obrigada por voce existir!Amo sua amizade...M@ria

Sueli disse...

Oi, vim retribuir a visita! Parabéns pelo blog...
Obrigada pela visita e volte sempre...

Livinha disse...

Filhos nossos retratos no ontem, embora se firmasse com mais precisão o companheirismo, ainda assim havia a ansia do voo, de subir, atravessar os descampados da vida, buscando a tão chamada liberdade.
Eles não são nossos, a nós foram confiados. Eduquemos e permitamos que se lancem, equilibrados, a crescer e traçar seus proprios caminhos esses abençoados que os preparamos para por eles serem tecidos.

maravilhosos texto minha querida amiga

Linda semana pra ti

Bjs

Livinha

Carmo disse...

É assim mesmo como me sinto.
As minhas filhas já são adultas. Cresceram tão depressa!!
Bom fim de semana
Beijinhos

MEUS POEMAS disse...

Lindo texto, adorei!
Passei para agradecer sua visita e comentários no genavideos, obrigada!
Bjsssssssss
Gena

Beatriz Prestes disse...

Maravilhoso e perfeito!!!
Estou vivendo cada linha escrita...sorri, me emocionei, refleti!!!
Lindo demais o espaço de vocês!!
Aplausos
Bea

Bergilde Croce disse...

É por isso que tento aproveitar ao máximo possível a infancia dos meus pois sei que cada fase tem suas características e eles quando grandes seguirão seus próprios rumos,mas uma coisa é certa,nosso elo de afeto é indissolúvel.Belíssimo texto,de profunda reflexão!Abraços,Bergilde

Leca disse...

Quando os filhos...
crescem...
é tempo...
de recomeçar...
mas...só para aqueles...
que pararam no Tempo...
e se esqueceram...

Beijos

L
e
c
a